Olivia Colman ganha Oscar de melhor atriz por 'The Favorite'

LOS ANGELES (Reuters) – A cantora britânica Olivia Colman ganhou uma surpresa como melhor atriz Oscar no domingo por seu desempenho inteligente como a obscura e petulante Rainha Anne em “The Favorite” e encantou o público com um discurso de aceitação cheio de lágrimas e humor.

91º Oscar – Show dos Óscares – Hollywood, Los Angeles, Califórnia, EUA, 24 de fevereiro de 2019. Olivia Colman recebe o prêmio de Melhor Atriz por seu papel em “O Favorito”. REUTERS / Mike Blake

Foi o primeiro Oscar de Colman, de 45 anos, uma das atrizes mais queridas e prolíficas da televisão britânica, menos conhecida dos cineastas americanos. Ela também ganhou o Globo de Ouro e o prêmio britânico BAFTA por sua atuação bem conceituada.

“É genuinamente muito estressante. Isso é hilário ”, disse Colman ao aceitar o troféu, que ganhou os indicados Glenn Close, Lady Gaga, Melissa McCarthy e Yalitza Aparicio. Muitos observadores do Oscar haviam colocado Close ou Lady Gaga para ganhar.

“E meus filhos que estão em casa assistindo – bem, se você não é, bem feito”, disse Colman através das lágrimas. “Eu meio que espero que você esteja. Isso não vai acontecer novamente.

Em “The Favorite”, Colman retrata a Rainha Anne do século 18 da Grã-Bretanha como uma realeza insegura, frágil e tempestuosa que trata sua horda de coelhos como se fossem seus filhos mortos e tem amizades lésbicas secretas com personagens interpretados por Emma Stone e Rachel Weisz .

Stone, sentado perto de Colman no Dolby Theatre, também começou a chorar quando o prêmio foi anunciado e pôde ser visto repetindo “oh meu Deus” várias vezes.

Ambos Stone e Weisz foram nomeados por seus papéis de atriz, mas perderam para Regina King por sua participação em “If Beale Street Could Talk”.

Colman, que mantém um perfil discreto em Hollywood, mas é considerado um tesouro nacional na Grã-Bretanha, disse que, na doente e um tanto tola rainha Anne, ela gostava de interpretar uma mulher “imunda, sexy, emotiva e triste” em vez de tentar ser bonita e glamourosa.

A atriz começou sua carreira na Inglaterra há 20 anos, acumulando créditos em programas de desenho de comédia e em papéis dramáticos como o mistério de assassinato da polícia de televisão “Broadchurch” e o thriller de espiões “The Night Manager”.

Ela interpreta uma monarca inglesa novamente em seu próximo papel, como uma rainha de meia-idade Elizabeth na próxima terceira temporada do drama da Netflix “The Crown” sobre a família real britânica.

“The Favorite”, que também foi indicado para melhor filme, foi lançado pela Fox Searchlight Pictures.

Reportagem de Jill Serjeant e Dan Whitcomb; Editando Jonathan Oatis e Sandra Maler

Nossos padrões:Os Princípios de Confiança da Thomson Reuters.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *